Tipografia é tudo o que diz respeito à disposição visual das várias fontes ou tipos de letra, desde a criação, estudo e utilização de caracteres até aos seus estilos e formatos possíveis. Esta é sem dúvida é um elemento crucial ao nível do design gráfico. Seja na criação de cartões de visita, flyers, cartazes, banners ou roll-ups, seja criação de logotipos e da identidade visual de uma marca, é importante selecionar a fonte certa em linha com a mensagem que pretende transmitir.

Neste artigo vamos analisar o que diferencia a tipografia com serifa e sem serifa e explicar o significado e as diferenças entre ambas. Este é aliás um tema de grande importância a nível de design gráfico, não só pela componente estética implícita na tipografia, mas também pela sua relação com a fadiga de leitura e impacto visual.

qual a diferença entre tipos de letra com serifa e sem serifa

 

Tipografia com serifa (ou serifada) e sem serifa

Antes de mais importa referir a diferença entre tipos de letra com serifa e sem serifa. Mas afinal o que é uma serifa? A serifa é um traço decorativo de maior ou menor dimensão, presente nas extremidades superiores e inferiores dos caracteres de alguns tipos de letra.

A fonte com serifa contém serifas ao contrário da fonte sem serifa. Ambos os estilos têm uma aparência única e transmitem mensagens distintas, por isso devem ser usados em situações especificas em consonância com a peça gráfica em questão.

Fontes com serifa

Este é um tipo de letra datado do século dezoito, na época em que as letras eram esculpidas em pedra e os tipógrafos acrescentavam ornamentos como detalhe decorativo nas suas criações. Actualmente as fontes com serifa são bastante populares em contextos em que se pretenda dar um toque de elegância e sofisticação a determinada peça gráfica. Este tipo de letra salienta conceitos tradicionais e faz transparecer respeito e confiança ao público.

Tipografia com serifa é ideal para marcas que pretendam transmitir estes valores. Temos como exemplo editoras, jornais, seguradoras, empresas na área financeira ou de artigos de luxo.

Para além dos motivos já mencionados, esta fonte é usada para facilitar a leitura, ou seja, é aconselhado que na impressão de livros que utilize letras serifadas, já que, em teoria, as serifas dão uma sensação de continuidade e apoiam o leitor a conectar as letras mais rapidamente.

Eis algumas marcas que usam fonte serifada no seu logotipo: Sony, Tiffany & Co, Time Magazine, Vogue e Honda.

Classificação de tipos de letra com serifa

Old Style, ou Estilo Antigo

centaur

Tal como o nome indica, o “estilo antigo” foi o primeiro tipo de letra com serifas. A sua origem remonta ao século quinze, embora o seu uso tenha sido massificado no século dezanove, com o desenvolvimento das técnicas de impressão.

Exemplos: Bembo, Centaur, ITC Berkeley Oldstyle.

Transitional, ou Serifa de Transição

baskerville

Este estilo estabelecido pelo tipógrafo John Baskerville a meados do século dezoito, representa a transição entre o estilo antigo e designs neoclássicos, incorporando características comuns dos dois estilos. Exemplos: Baskerville, Perpetua, Americana.

Neoclassical & Didone, também conhecida como Moderno

bodoni classic

Estes tipos de letra foram criados no fim do século dezoito, em especial devido ao trabalho de Giambattista Bodoni. A sua filosofia baseava-se em principio simples, como a uniformidade do desenho, o requinte e equilíbrio entre as diferentes letras.

Exemplos: Bodoni Classic, Marconi, Walbaum.

Slab Serif, ou Fonte Egípcia

rockwell

Esta foi uma fonte que se tornou popular no século dezanove para fins publicitários. Carateriza-se por serifas largas, e pelo seu impacto visual relativamente às restantes categorias de fontes serifadas.

Exemplos: Rockwell, Egyptian Slate, Soho.

Clarendon

clarendon

O tipo de letra Clarendon foi criado em meados do século dezanove. Foi designado como uma fonte a negrito a grande escala destacar títulos e textos em publicações impressas.

Exemplos: Clarendon, Nimrod, Bookman.

Fontes sem serifa

Fontes sem serifa são sinónimo de modernidade, inovação e minimalismo. Existem inúmeros tipos de letra sem serifa que são os mais indicados para uma mensagem consiga e contemporânea. Esta categoria foi criada na altura dos “Roaring Twenties” ou “Loucos Anos 20” no século dezanove, um exemplo de uma época elegante, caracterizada pela liberdade criativa.

Com linhas limpas de dimensões equilibradas, tipos de letra não serifados são adoptados para expor simplicidade e modernização no texto impresso. É também a fonte ideal para determinadas aplicações, como carimbos onde não é possível um elevado grau de detalhe do desenho.

Para uma primeira impressão informal, atual e jovem é ideal utilizar fontes sem serifa, e podemos observar na maioria das redes sociais e empresas que se focam nas faixas etárias mais jovens este tipo de letra é a mais comum, marcas de sucesso tais como o Facebook, Spotify, Airbnb, Nike, Netflix, Target e a Google.

Classificação de tipos de letra sem serifa

Grotesque, ou Grotesca

helvetica

As primeiras fontes comercialmente populares sem serifas. Contêm uma leve qualidade “quadrada” predominante em muitas das curvas dos caracteres, e muitos dos designs têm em comum com os tipos Romanos a característica “bowl and loop” na letra “g” minúscula. Incluído nesta categoria estão fontes mais modernas não serifadas criadas a partir das primeiras grotescas.

Exemplos: Helvetica, News Gothic, ITC Franklin Gothic.

Neo-Grotesque ou Square Sans Serif

neosans

Um design geralmente baseado nas proporções e características do Grotesque, com uma quadratura definida, e um tanto dramática de traços normalmente curvados. Exemplos: Neo Sans, Eurostile, Cachet.

Geometric Sans Serif

avenir

A construção destas fontes é influenciada por formas geométricas simples. Por norma têm uma legibilidade menor que os Grotesques. Exemplos: Avenir, Futura, ITC Bauhaus.

Humanistic Sans Serif

frutiger

Baseados nas proporções de caracteres inscritos Romanos. Tipógrafos profissionais acreditam que estas são as fontes mais legíveis e de fácil leitura entre os tipos sem serifas. Exemplos: Frutiger, Gil Sans, Mentor Sans.

 

Independente da peça gráfica a criar a tipografia assume um papel muito importante. Independentemente de se tratar da identidade visual duma marca, da impressão de cartões de visita, flyers ou outro tipo de produto gráfico. Uma escolha correcta acaba por contribuir para o sucesso da mensagem a transmitir. Ainda tem dúvida ou questões? Entre em contacto com a Webnial Gráfica Online aqui poderá encontrar aconselhamento profissional ao nível de design gráfico e impressão.

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador.

INDIQUE O SEU EMAIL, E RECEBA O CUPÃO
Inscrever
Consinto o tratamento dos dados para uso de acordo com a política de privacidade
Receba todas as promoções por email!
Inscrever
Consinto o tratamento dos dados para uso de acordo com a política de privacidade